Reflexões e artigos sobre o dia a dia, livros, filmes, política, eventos e os principais acontecimentos

quinta-feira, 19 de maio de 2011

A pergunta que não quer calar

O jogo de outras capitais interessadas em receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, está na presença de um ilustre corintiano nas decisivas reuniões: o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Em Comandatuba, Lula sentou-se à mesa com Sanchez e representantes da construtora. Depois de ter usado seu prestigio e poder, ainda como titular da cadeira no Palácio no Planalto, para o desenvolvimento inicial do projeto, o ex-presidente voltou à cena quando percebeu que a situação poderia desandar. "Quem acha que o Lula está em casa, de pijamas, apenas assistindo à banda passar, está muito enganado", afirmou à coluna pessoa com bom transito na chefia de gabinete da Presidência, em Brasília. "O Lula participou do início deste projeto e vai participar do final também. O principal item da pauta dos últimos encontros foi o desafio de fechar a conta da obra. O orçamento para atender à configuração exigida pela Fifa para receber a abertura do Mundial está em, aproximadamente, R$700 milhões.
Alinha de crédito especial oferecida pelo BNDES é de R$400 milhões. Em um primeiro momento, a Odebrecht bancaria a diferença de R$ 300 milhões. Em seguida, comentou-se que o poder público poderia se envolver no negócio a fim de garantir São Paulo como palco do momento mais importante do evento, possibilidade que provocou com toda razão reações negativas. Atualmente, a opção mais viável é a utilização da receita esperada com o "Naming Rights" para cobrir essa diferença. Sanchez e diretores da construtora confidenciaram a parceiros que chegaram ao Corinthians estudos que provam a viabilidade desse dinheiro. Perguntar não ofende: Alguém se disporia a explicar como um estádio que é projetado para receber a abertura do Mundial pode custar "menos caro" do que outros que passarão por reformas para receber partidas menores? Outro tema tão intrigante quanto recorrente e que as autoridades e responsáveis pela organização da Copa simplesmente fingem não existir é o destino do estádio de Brasília. Assusta a naturalidade com a qual essa gente trata o nascimento de um exemplo típico da espécie "elefantiz branquius".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acessos ao Blog

Post mais acessados no blog

Embaixada da Bicicleta - Dinamarca

Minha lista de blogs